iG

Publicidade

Publicidade
27/08/2007 - 16:43

Rogério está no seu time dos sonhos?

Compartilhe: Twitter

Foi acabar o Arena Sportv nesta segunda-feira para o meu celular começar a tocar. “Rogério Ceni maior goleiro da história, você está louco?”, perguntou um amigo que não torce para o São Paulo. “Até que enfim alguém diz que o Ceni é o maior do mundo”, falou outro amigo, este são-paulino.

Parece que algumas pessoas também escreveram para o programa – para algumas eu respondi no ar.

O que eu disse? Que Rogério é o maior goleiro que eu vi jogar. Que ele seria o camisa 1 do meu “Time dos Sonhos”, para lembrar a enquete que Placar faz todos os meses, convidando personalidades para escalar o seu escrete ideal.

“Ah, mas tire dele as cobranças de falta”, dizem alguns. Não tiro! Não tiro de Maradona o pé esquerdo (guardadas as devidas proporções…). É claro que Rogério virou lenda (também) pelo que faz com os pés. Por que tiraria justamente o seu maior diferencial na hora de avaliá-lo?

Este (abaixo) é o meu time dos sonhos, só com jogadores que eu vi. E você, caro leitor, escala o Rogério ou prefere outro jogador para o gol?

ps: votos de são-paulinos são suspeitos e por isso peço que se identifiquem (mas votem!). Quero ver se há, além de mim, mais gente que não seja tricolor e mesmo assim escolha Rogério…

O time
Rogério, Thuram, Gamarra, Baresi e Júnior (Flamengo); Falcão, Zidane (de volante…), Zico e Maradona; Ronaldo e Romário. T: Felipão

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
27/08/2007 - 12:43

Árbitros paulistas?!

Compartilhe: Twitter

O Fluminense é o último clube a falar em conspiração da arbitragem. Está na moda. O Flu sugere que seus problemas são árbitros paulistas.

A acusação é ridícula.

Para Santos, Palmeiras e São Paulo, o ideal era que o Grêmio (rival da parte de cima da tabela) perdesse no sábado!

O Flu tinha elenco para disputar a taça, mas está completamente fora da disputa. E também não vai cair. Ou seja, também não é rival do Corinthians…

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
27/08/2007 - 12:18

Adeus a Carpezino

Compartilhe: Twitter

Coitado de Paulo César Carpegiani. Tem longa história no futebol. Foi jogador de seleção, dirigiu um time campeão mundial e uma equipe sul-americana em Copa do Mundo.

O homem chega ao Corinthians sendo chamado de “Carpezino” pelo presidente. E vai embora alguns meses depois, despedido no vestiário por um vice de futebol que trabalhou apenas um dia com ele.

“Digo isso como torcedor. Falta… falta garra. Falta uma velocidade. Falta uma jogada. Digo isso como torcedor, não como vice de futebol”

Este foi o discurso de Antoine Gebran, o novo vice de futebol corintiano, após a derrota para o Cruzeiro, no sábado. Este é o problema. Para comandar o Corinthians, hoje, restaram (no máximo) torcedores.

Carpegiani não é o único culpado pela situação da equipe. Mas claramente não soube trabalhar com um elenco tão limitado. Em vez de optar pelo arroz-com-feijão (o mais recomendável quando seu time é ruim), preferiu variar nos esquemas táticos a cada partida, ao ponto de jogar sem volantes de marcação contra o Cruzeiro. O Cruzeiro!

Escrevi mais de uma vez aqui que as coisas que Carpegiani pensou para este elenco do Corinthians poderiam dar certo no Barça, no Chelsea, no Milan… Lá, tem material para um técnico se divertir a valer, sem causar tanto prejuízo. No Timão, hoje em dia, é necessário um treinador que saiba pensar de acordo com o tamanho do time.

O problema não é ser demitido. Com Carpegiani, parecia claro que o o Corinthians não iria a lugar algum. É preciso uma força-tarefa para escapar do rebaixamento. Problemão é o Corinthians não entender que tem um timeco! É o Corinthians demitir um treinador com tanta história — de forma deselegante –, sem ter a menor idéia de quem trazer para o seu lugar.

Carpegiani pode não ser um treinador espetacular, mas é sujeito sério. No meio do lamaçal que inunda o Corinthians, o clube pelo menos teve por alguns meses uma voz digna para representá-lo. Na situação em que o Timão se encontra, já era motivo para comemorar.

Mário Sérgio seria um nome interessante. Não acho que seja uma maravilha, longe disso, mas pelo menos sabe armar uma boa retranca. É o que resta em 2007 para os corintianos.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
24/08/2007 - 16:03

Palpites e pitacos para a 21ª rodada

Compartilhe: Twitter

Atualizado às 17h20 para comentar Kléberson no Santos

SÁBADO

Corinthians x Cruzeiro
Coluna 2. O Pacaembu vai estar lotado e o time paulista deve lutar muito. Mas sem o Willian vai ser difícil… O Cruzeiro não terá Wágner, que vinha sendo o seu melhor jogador. Tem mais elenco para sentir menos o desfalque.

Fluminense x Grêmio
Qualquer um pode vencer. Fico com o empate.

Internacional x Atlético-PR
Coluna 1.

DOMINGO
Paraná x Juventude
O Paraná se reabilita. Se não fizer isso contra o Juventude, em casa, tem mais é que ficar lá embaixo mesmo.

Atlético-MG x Botafogo
Jogo duro… Mas aposto no Botafogo. Sobre o retorno de Zé Roberto, um pitaco: é possível enxergá-lo como uma certa derrota de quem teve de afastá-lo, com toda a razão, por indisciplina. Zé Roberto, afinal, pisou na bola, mas viu que o clube precisa dele… Por outro lado, o Fogão consegue também prorrogar o contrato do jogador, que venceria em dezembro, e não o perderá mais de graça no fim do ano. Enfim, todo mundo perde e todo mundo ganha um pouco nessa história. Se Zé Roberto conseguir jogar bem novamente, melhor para o time do Cuca.

São Paulo x Náutico
O líder ganha. Mas não ser tão fácil…

Figueirense x Palmeiras
Vitória magra do Verdão.

América-RN x Santos
Se o Santos perder duas vezes para o América neste campeonato tem que fechar para balanço. Coluna 2. Agora, falando do futuro santista: Fábio Costa, Alessandro, Adaílton, Domingos e Kléber; Maldonado, Rodrigo Souto, Kléberson e Pet; Marcos Aurélio e Kléber Pereira. É um timaço. Pena (para os santistas) que tenha começado este Brasileiro com uma volta de atraso. A presença na Libertadores de 2008 só é tão incerta por causa disso. Dará tempo?

Sport x Vasco
Jogar em casa dá uma certa vantagem ao Sport. Mas tenho direito a um triplo por rodada (acabo de inventar a regra) e vou utilizá-lo neste jogo.

Flamengo x Goiás
Coluna 1. Não que o Flamengo tenha virado uma máquina da noite para o dia. É que sempre desconfio do time goiano fora de casa, onde já perdeu sete vezes e só venceu três…

Bom final de semana!
Nos vemos domingo à noite ou segunda de manhã.
Estarei desplugado durante o final de semana (ninguém é de ferro…), tempo suficiente para os leitores tripudiarem em cima das previsões furadas.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
24/08/2007 - 14:53

Recomendo

Compartilhe: Twitter

Para quem gosta de Reportagem, com R maiúsculo mesmo, conheci hoje e indico o site Tribuna da Rua, mantido de forma independente pelos jornalistas Fellipe Awi (O Globo), Guilherme Roseguini (Sportv), João Pimentel (O Globo), Lúcio de Castro (Sportv), Marcelo Outeiral (TV Globo) e Rogério Daflon (O Globo).

Assim que o iG providenciar, o link estará entre os indicados aqui da Blog. Mas sugiro é que as pessoas tenham a Tribuna da Rua nos favoritos de seus computadores.

Não é sempre que se consegue encontrar jornalismo independente e de qualidade (ao mesmo tempo e sem nariz empinado) por aí.

Boa leitura!

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
24/08/2007 - 12:09

Nenhum voto para Afonso. Você quer a volta do quadrado?

Compartilhe: Twitter

Caros, sobre a enquete do post anterior (você prefere o Ronaldo balofo da última Copa ou Afonso com a 9 da seleção?), tivemos 27 respostas.

Ninguém prefere o Afonso.

Três preferem o Pato, ótima lembrança (e até agora a melhor alternativa ao Ronaldo, na minha opinião também).

Três preferem o Ronaldo, além de gordo, também bêbado, na comparação com Afonso.

Nabuco chama o quadrado com Ronaldinho, Kaká, Robinho e Ronaldo de “famigerado”, fazendo menção à última Copa. O que é isso, Nabuco? Estes quatro só atuaram como titulares contra o Japão (melhor partida do Mundial). Esta, para mim, seria a formação óbvia de nossa seleção.

E para vocês? Esse quadrado é famigerado ou deve ser a formação da seleção (ainda que com outro jogador, como o Pato, no lugar de Ronaldo)?

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
23/08/2007 - 18:50

Ronaldo ou Afonso? Você decide

Compartilhe: Twitter

Pense no Ronaldo da Copa do Mundo. Sim, o Ronaldo gordo.

Conheço muito pouco o futebol do Afonso (só assisti ao rapaz jogar na Copa América e até que não fez feio). Uma rápida olhada em sua ficha, porém, mostra que não é nenhuma promessa. Tem 26 anos.

Ronaldo, 30, hoje nem poderia jogar pela seleção, recupera-se de (mais uma) lesão. Mas deverá estar apto para jogar em boa parte das Eliminatórias. Pense, porém, no Ronaldo gordo, o balofo da última Copa.

Você prefere o Ronaldo gordo da última Copa ou o Afonso para jogar contra a Argentina, nas Eliminatórias?

Todo técnico da seleção tem direito a suas esquisitices (no caso de Dunga, no plural mesmo). Amistoso serve para testar jogadores(logo atrás de encher o cofre da CBF). Tudo isso a gente já sabe.

Deixo a pergunta para os amigos:

Na hora H, você prefere o Ronaldo gordo da última Copa ou o Afonso para vestir a 9 contra a Argentina, nas Eliminatórias?

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
22/08/2007 - 23:55

Brasil 75 x 67 Canadá: Legal… Mas pode ser melhor!

Compartilhe: Twitter

Foi animadora a vitória do Brasil sobre o Canadá, nesta estréia de Pré-Olímpico. Melhor até do que eu esperava.

Mas o Brasil poderia — diria até “deveria” — ter vencido com mais facilidade, se tivesse sido mais consistente ao longo da partida.

A seleção teve momentos muito bons, como há muito não se via. Leandrinho jogou com personalidade (foi o melhor em quadra, com 30 pontos, e ainda pode jogar mais). Abrimos 12 pontos brincando no primeiro e começo do segundo quarto. Estava uma teta. Mas aí…

Alguns pitacos:

– Lula mostra que não tem muito feeling para fazer alterações. Mexe nas horas erradas. E mexe demais. Não só nos jogadores. A seleção está arrebentando o Canadá com uma marcação individual, quem diria. De repente, passa a marcar zona (?!). Está matando a defesa canadense com jogadas de infiltração. De repente, ele faz três alterações e começamos a jogar só com chutes de fora. Alguém me explique essas coisas.

– O Brasil tem alguns jogadores café-com-leite, mas que no conjunto até conseguem fazer bonito (incluo nesta lista o Marcelinho Huertas e o Marcelinho Machado, naqueles dias em que ele erra todas e fica insistindo o jogo todo). Não dá, porém, para colocar três deles de uma vez só numa partida!

– Marcelinho Machado, jogador 8 ou 80, marcou bem. Mas teve aquele velho problema de começar a chutar todas as bolas de 3, errando uma atrás da outra. Ninguém fala nada? Ele não pode fazer isso num time que tem Leandrinho e pivôs como Splitter (não foi tão bem) e Nenê, pouquíssimo acionado. Menos, Marcelinho… Alguém amarre a mão desse menino!

– Pelo tempo em que está junta, essa seleção precisava ter mais jogadas treinadas. É muito na base do improviso e da jogada individual.

– O juiz é fresco demais! Nenê saiu com cinco faltas e pelo menos duas delas não aconteceram. A arbitragem foi irritante. Mas o pivô foi sensacional na defesa (está em outro patamar no nosso time) e, mesmo fora de forma, pode fazer tanta diferença quanto Leandrinho lá na frente também. Precisa ser mais acionado.

A melhor parte é que, com todos os problemas, vencemos e mostramos que, pelo menos em comparação com o Canadá, adversário direto à vaga olímpica, somos bem mais fortes.

Mas também mostramos que podemos ser bem melhores do que fomos. Isso é bom.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
22/08/2007 - 17:49

O jogo do dia

Compartilhe: Twitter

Não é Brasil x Argélia (afe…), tampouco Inglaterra x Alemanha, muito menos Botafogo x Corinthians pela Sul-Americana.

O grande jogo do dia é Brasil x Canadá, 21h30, Pan-Americano de basquete.

É só uma estréia (e as estréias desse time têm sido lamentáveis, vide a do último Mundial, contra a Austrália…). O Brasil está num grupo com cinco equipes. Classificam-se quatro para a próxima fase. Mas uma derrota pode custar a vaga olímpica.

Por quê? Vamos por partes.

É claro que vamos nos classificar para a segunda fase, ganhando ou perdendo dos canadenses (a ausência de Steve Nash é uma bênção…).

Na segunda fase, os quatro primeiros do grupo A vão enfrentar os quatro primeiros do B, que além do Brasil e Canadá ainda tem Venezuela, Ilhas Virgens e um imbatível Estados Unidos.

Os quatro primeiros destas oito seleções da segunda fase (serão somados os pontos da primeira fase também) vão para a semifinal. Será primeiro contra quarto e segundo contra terceiro. Os dois finalistas garantem vaga olímpica – um erro do torneio. Os quatro melhores deveriam fazer um quadrangular, na minha opinião, para definir os dois classificados para Pequim. Mas isso é uma outra história.

Os Estados Unidos fatalmante serão este “primeiro” da segunda fase. Quem for o quarto (e consequentemente rival dos EUA na semi) estará fora da final e, assim sendo, fora das Olimpíadas.

O Brasil não pode nem pensar em pegar os Estados Unidos na semifinal. Tem de vencer todo mundo pela frente para só cruzar novamente com os norte-americanos na final, com a vaga na Olimpíada garantida.

Temos uma boa chance. Disputamos essa segunda vaga olímpica com Argentina, Porto Rico e, correndo por fora, os próprios canadenses. Prefiro assistir aos jogos da primeira fase antes de fazer uma previsão. Precisamos ver como estará a Argentina sem a sua força-máxima (se viesse o time titular, a segunda vaga seria deles e daria até para encarar os Estados Unidos, em um dia de muuuita inspiração).

Kobe
De todos os jogadores deste novo Dream Team, minha curiosidade recai sobre Kobe Bryant. Depois que Jordan parou, na minha opinião, foi o cara que chegou mais perto dele. Os Lakers andaram mal das pernas ultimamente, mas individualmente Kobe seguiu dando show atrás de show. Quero ver ao lado de feras como LeBron James, Jason Kidd e Carmelo Anthony como vai se sair…

Nos vemos depois do jogo. Espero estar comemorando e não quebrando a minha TV de tanta raiva, como no último Mundial.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
22/08/2007 - 15:31

Argélia 0 x 2 Brasil. Ok… Agora vamos ao que interessa?

Compartilhe: Twitter

Foi um clássico da obviedade.

No primeiro tempo, Dunga fez sua homenagem ao time da Copa América (já tratei do tema aqui no blog, mais abaixo). Kaká e Ronaldinho estavam no banco, assistindo a Elano e Júlio Baptista no meio-campo.

Tivemos contra um adversário mais fraco as mesmas dificuldades que tivemos na Copa América, quando enfrentamos times mais fracos, mais fechados, naqueles momentos em que são necessárias criatividade e habilidade para jogar. Menos volantes, mais meias.

A criatividade e a habilidade estavam no banco. Era mesmo de se esperar que Kaká e Ronaldinho entrassem. E melhorassem o time na segunda etapa, como aconteceu. Fernando também foi para o jogo – todo técnico de seleção tem direito a suas esquisitices… Saíram os dois gols.

Nenhuma novidade.

Josué, Mineiro, Elano e Júlio Baptista acabaram com a Argentina na final da Copa América, mas têm enormes dificuldades para criar quando enfrentam times mais fechados. Esta é claramente uma formação (ALTERNATIVA) que encaixa melhor contra equipes superiores tecnicamente – como era a Argentina de Riquelme. É uma formação para quando o Brasil precisar marcar mais, sufocar um adversário em sua meta.

Mas, repito, não vi mal algum na homenagem aos campeões da Copa América nesse amistoso moribundo.

Kaká e Ronaldinho vão voltando ao time titular naturalmente e agora vamos ao que interessa: armar um sistema de jogo onde caibam as duas feras, Robinho e mais um centroavante.

O resto é conversa mole.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
Voltar ao topo